sábado, 16 de agosto de 2014

song. [tradução]


(Robert Creeley / de Windows, 1990)

[clique para aumentar]

(2014)

* Tentei, na tradução, manter a leve atmosfera ambígua. Na primeira estrofe, por exemplo, deixou-se de lado o corpo esquecido ou algo que “há” nele? Na segunda estrofe, aquilo pelo que se morreria é o corpo ou algo que “há” nele? Há uma tradução deste poema no livro A Um , que apresenta traduções de textos de Creeley feitas por Régis Bonvicino. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário