sábado, 16 de agosto de 2014

song. [tradução]


(Robert Creeley / de Windows, 1990)

[clique para aumentar]

(2014)

* Tentei, na tradução, manter a leve atmosfera ambígua. Na primeira estrofe, por exemplo, deixou-se de lado o corpo esquecido ou algo que “há” nele? Na segunda estrofe, aquilo pelo que se morreria é o corpo ou algo que “há” nele? Há uma tradução deste poema no livro A Um , que apresenta traduções de textos de Creeley feitas por Régis Bonvicino. 

nature morte. [tradução]


(Robert Creeley / de Windows, 1990)

[clique para aumentar]

(2014)

* Pensei, inicialmente, em traduzir o título francês para o inglês, para manter o potencial semântico de "still life", termo que se refere ao conceito de "natureza morta" mas que também indica, no poema, que a vida ainda (still) continua. Concluí, no entanto, que optar pelo termo inglês não seria uma solução tradutória, e decidi manter o termo francês, que qualquer leitor de língua portuguesa consegue compreender.