segunda-feira, 22 de agosto de 2016

prometheus. [tradução]


(Ezra Pound / de A Lume Spento, 1908)

[clique para aumentar]

(2016)

terça-feira, 12 de julho de 2016

a conciliation. [tradução]


(Jerome Rothenberg / de White Sun Black Sun, 1960)

[clique para aumentar]

(2016)

* Optei por traduzir "hold" como "portar" pelo fato de este verbo da língua portuguesa apresentar dois sentidos: o de "carregar consigo" e o de "possuir"; duplicidade, essa, que o verbo em inglês também oferece. 
* Como no original não há rima entre os dois primeiros versos da penúltima estrofe, evitei o uso de "você", pois tal termo rimaria com "quê". Em vez disso, lancei mão da palavra "contigo", que não deixa de ser um resgate da forma "tu", muitas vezes eclipsada pelo suposto padrão brasileiro "você".

quinta-feira, 28 de abril de 2016

the grave of shelley. [tradução]


(Oscar Wilde / de Poems, 1881)

[clique para aumentar]

(2016)

* Em 1877, Oscar Wilde visitou, no cemitério protestante de Roma, o túmulo do poeta romântico inglês Percy Bysshe Shelley (1792 - 1822).  O poema aqui traduzido surgiu de tal visita, sendo que os versos finais aludem à morte do poeta por afogamento.
* Por uma questão de rima (toante), optei por traduzir "gloom", cujo significado gira em torno da idéia de "escuridão", como "brumas", termo que alude à impossibilidade de visão e, ao mesmo tempo, ao sublime romântico (caro a Shelley), se pensarmos, por exemplo, em Caminhante sobre Mar de Névoa (1818), quadro célebre de Caspar David Friedrich.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

hello. [tradução]


(Robert Creeley / de Hello: A Journal, February 29 - May 3, 1976)

[clique para aumentar]

(2016)

* Três poemas pertencentes ao livro Hello: A Journal, de 1976, obra em que Creeley trabalha esteticamente suas experiências de viagem por nove países: Nova Zelândia, Austrália, Cingapura, Filipinas, Malásia, Hong Kong, Japão, Coréia e, na volta, Estados Unidos. Window foi escrito pensando Sidney, na Austrália. Remember, pensando Hong Kong. Out Window: Taylor's Mistake, por sua vez, se refere a uma localidade neozelandesa chamada Taylor's Mistake, nome advindo do suposto erro de um navegante que confundiu o local com outra paragem. 
* Em relação à tradução, em Janela optei pela expressão "por / dentro, avesso" em vez de "den- / tro, fora", pois a expressão "inside out" expressa algo virado pelo avesso. Já em Lembrar, optei pelo adjetivo "cerrados" para tentar dar conta da ambiguidade de "close", que pode ser lido como "fechados" ou como "próximos". A palavra "cerrados" me parece dar conta de ambos os sentidos, já que pode se referir a algo de fato fechado ou, conforme o Houaiss, a  algo "cujos constituintes são numerosos e próximos entre si". Na segunda estrofe, tentando encarar a semântica movediça, típica de Creeley, optei por "pensar", pois tal vocábulo pode ser encarado como verbo ou como substantivo (o pensar), o que daria conta da ambiguidade de "mind" (a mente antes de acordar ou antes de acordar, repare?).